Entrevista com Lena Trindade


A fotógrafa de natureza, Lena Trindade
(Jardim Botânico do Rio de Janeiro)

6 MIN, DE LEITURA

No último dia 10 de janeiro o site Aves & Árvores completou 3 anos de existência. Em comemoração à data, entrevistamos a fotógrafa de natureza Lena Trindade, autora de publicações sobre parques e jardins urbanos do Rio de Janeiro, dentre diversas outras obras.

A entrevista foi concedida durante o passeio de observação de aves no Jardim Botânico do Rio que encerrou a temporada do último ano. Confira!

* * *

Aves & Árvores: Como descobriu a fotografia de natureza? E o gosto pelas aves?

Lena Trindade: Quando comecei a fotografar, sempre fui atraída pela natureza, mas gostava das pessoas que tinham uma relação com a natureza, como o pescador, o seringueiro, o artesão. Em uma viagem que fiz para a Amazônia caminhei muito e descobri o prazer de andar pela natureza. Quando retornei de lá para o Rio de Janeiro procurei por grupos que saíssem para a natureza, alpinistas, orquidófilos, até que li matéria em uma revista falando do Clube de Observadores de Aves (COA/RJ). Eu não era observadora de aves, mas pensei: "quem quer observar aves vai para a mata", então fui aos encontros com esse interesse, ir para a mata, até que me apresentaram um binóculo e, no que eu vi uma ave chamada "Viuvinha" fiquei absolutamente impressionada com os detalhes da beleza da plumagem. Até aí a natureza era o fundo para os personagens, a partir de então tirei os personagens e fiquei com a natureza pura, com as aves, borboletas. Atualmente, estou num momento em que junto tudo, integro o homem na natureza.

Aves & Árvores: O que mais estimula seu trabalho, a busca pelo registro de uma espécie ainda não fotografada ou de alguma já registrada, em uma situação ou flagrante especial?

Lena Trindade: Eu não tenho essa preocupação com aquela ave que não tem registro, que ninguém fotografou. Claro que todo mundo gosta de fotografar algo inusitado, que ninguém nunca fez. Eu, por exemplo, tenho um desejo de fotografar a Saíra-apunhalada, ainda não consegui, mas ainda não investi nisso. Não chega a ser uma obsessão, mas claro que se ocorrer ficarei muito feliz.

Aves & Árvores: Pode indicar uma ave de que tenha tido bastante satisfação em fotografar? Tem uma ave preferida?

Lena Trindade: Não tenho uma ave preferida, mas lembro do prazer enorme de fotografar o "Tiê-sangue" em Cabo Frio. É um pássaro que tem uma ligação forte com a restinga e eu sou de Cabo Frio, então foi muito prazeroso fotografá-lo, inesquecível. A beleza dessa ave é algo fora do comum. As aves têm cada uma sua beleza particular.



"Tiê-sangue" (Ramphocelus bresilius)
fotografado por Lena Trindade em Cabo Frio/RJ

Aves & Árvores: No fim do ano passado foi lançada uma nova edição do excelente Guia das Aves do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, em que você contribuiu originalmente com inúmeros registros fotográficos da avifauna local. Há novidades captadas por suas lentas nessa recente edição?

Lena Trindade: Ainda não é uma edição como nós queremos. Não houve ainda oportunidade, por falta de patrocínio, de investir num livro completo com todas as novidades que o Jardim apresentou e que a gente gostaria de fazer, mas conseguimos colocar nessa edição algumas aves que estão ainda sem verbete, sem verbete em inglês, mas em que há o registro fotográfico, como o "Bentevizinho-de-asa-ferrugînea", uma foto muito interessante em que consegui registrar a crista e o ferrugíneo da asa, além do "Socó-boi". Outros registros ficarão para uma próxima edição.

Aves & Árvores: Considera o Jardim Botânico do Rio de Janeiro um local especial para a fotografia?

Lena Trindade: O Jardim Botânico é absurdamente especial, sempre apresentando novidades, você tem surpresas o tempo todo, com espécies novas e essa possibilidade advém do fato desse corredor que ele faz com a Floresta da Tijuca. Aqui há uma riqueza muito grande e é um local de extrema segurança e isso faz diferença. Aqui você pode ficar sozinho, tranquilo. Há lugares bons, como Parque Laje, Bosque da Barra, a Floresta da Tijuca é espetacular, mas segurança igual aqui não tem. Semana retrasada vimos aqui o "Bigodinho", uma ave que é linda e que eu nunca tinha visto aqui, não sei se ela vai começar a aparecer aqui. É capaz dela se tornar habitual aqui. Se isso ocorrer vai acabar entrando no Guia das Aves.

Aves & Árvores: Há ótimas publicações de sua autoria sobre parques urbanos no Rio de Janeiro; as árvores também ocupam um lugar especial em seu trabalho?

Lena Trindade: Eu acho que qualquer observador de aves tem que ter um interesse também muito grande pelas árvores, porque é lá que elas vivem. É um descanso ver uma árvore frondosa. Aqui no Jardim Botânico eu não perco nunca o grande fenômeno que é a aleia do Pau Mulato, se transformando da cor azeitona, para o cobre, dourado. A Sumaúma há pouco tempo invadiu o Jardim com sua floração, parecendo neve caindo. A floração dos ipês é linda, tem o amarelo, tem o rosa, o de bola. Para mim, as aves são indissociáveis das árvores.

Aves & Árvores: Recentemente, você participou do lançamento do livro “Plantas do Jardim” (editora Papelera Cultural). Pode falar um pouco dessa publicação e de sua participação na obra?

Lena Trindade: Esse livro não é um projeto meu, mas fui convidada a participar pela Daniela James, que ilustrou o livro, e que foi escrito pela Simone Intrator. Não sabia inicialmente qual era o conceito exato. Fiquei surpresa em ver uma obra muito bem editada, em um conceito quase infanto-juvenil, para pessoas que além de ver querem aprender alguma coisa. São cerca de 30 plantas do Jardim com características peculiares. Temos o Pau-brasil, que é uma árvore que dá o nome ao nosso país, a Palmeira Imperial, que tem toda uma história ligada com o Jardim Botânico. O livro é dividido em segmentos: árvores, bromélias, cactos e insetívoras. É um livro bastante didático. Por exemplo, muita gente não sabe que o abacaxi é uma bromélia. O livro tem um glossário que diz o que é bioma, traz também algumas ervas medicinais. A pesquisadora Nara Vasconcelos já trabalhou muito tempo no Bromeliário, é bióloga e foi quem forneceu o embasamento científico por trás do livro. Gostei muito de participar.


Detalhe do livro "Plantas do Jardim"
(editora Papelera Cultural)

Aves & Árvores: Que dicas poderia dar aos iniciantes na fotografia de natureza? Há alguma orientação especial para fotografar as aves e as árvores?

Lena Trindade: Em primeiro lugar, estar na natureza o máximo possível, pois é ali onde tudo acontece e muitas vezes saímos de casa para fazer uma coisa e voltamos com outra. Eu desenvolvo um trabalho que já tem muitos anos, mas que não depende da minha determinação, que é camuflagem e mimetismo na natureza. Não tem como você sair e dizer "vou fotografar o bicho-pau", ou você encontra ele no dia por acaso ou não vai ter a foto dele. O grande barato é estar sempre com a máquina fotográfica. Atualmente os celulares estão com uma capacidade de registro muito boa. Depois do advento da digital é um prazer não só observar a natureza como registrá-la. Outra dica é procurar as pessoas que conhecem o assunto, os biólogos, para saber o comportamento da fauna. Eu já fiquei um tempo para fotografar a "Borboleta-da-praia" (Parides ascanius) e ia sempre nos horários errados, até que fui saber que ela só voa no início da manhã ou no começo da tarde.

Aves & Árvores: Gostaria de deixar um recado final aos nossos leitores?

Lena Trindade: Devemos valorizar nossa linda natureza brasileira, observando, frequentando, divulgando. Onde você estiver sempre terá a oportunidade de ver uma ave bonita, uma árvore, uma planta. Aqui no Rio de Janeiro há tantas possibilidades, a natureza é tão rica, temos a pista Claudio Coutinho, o mar, as aves marinhas. Basta estar um pouco atento que você irá começar a gostar e isso é importante, precisamos disso, quanto mais gente observando e apreciando melhor.

* * *

Novidades em 2018

O Aves & Árvores inaugurou um canal no Telegram, destinado a notificar os leitores sobre as novidades publicadas no site. Para se inscrever basta acessar https://t.me/avesarvores de seu celular e entrar no canal.

O site também estreou uma linha de transmissão no WhastApp. Caso deseje receber notificações com as novidades publicadas no site basta enviar mensagem de texto solicitando sua inscrição com nome e sobrenome, para o telefone (+55) (21) 98119-7101.

Os serviços são gratuitos e os dados dos usuários nunca serão compartilhados com terceiros. Somente enviaremos notificações referentes às novidades publicadas no site Aves & Árvores.



Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

6 comentários:

  1. Excelente entrevista. O olhar sagaz e sensível da Lena provocam deleite nos amantes da Natureza!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Certamente, Fernando! Lena tem uma mente artística e inspira a todos com seu belo trabalho. Obrigado por sua visita e seu comentário. Um feliz 2018!

      Excluir
    2. Lena Trindade15 janeiro, 2018

      Elogio vindo de vc, o maior e mais querido ornitólogo do país me deixou toda prosa.
      😙

      Excluir
  2. Excelente entrevista! Parabéns pelo seu amor contagiante a nossa bela natureza.

    ResponderExcluir