Sapucaias da Quinta da Boa Vista (RJ)


Alameda de Sapucaias (Lecytis pisonis) na Quinta da Boa Vista (RJ)

A primeira vez que ouvi falar da Sapucaia (Lecytis pisonis) foi quando assisti ao excelente programa da atriz e apresentadora de TV Regina Casé, chamado "Um pé de quê". Ali, Regina trata das características das árvores, sua utilidade e conta também algumas curiosidades históricas. O programa virou DVD e atualmente pode ser visto no Canal Futura.

É lamentável que eu tenha levado tanto tempo até despertar para essa árvore maravilhosa, mas, pensando bem, isso era de se esperar de um jovem com criação tipicamente "urbana", preocupado apenas em jogar futebol, andar de bicicleta etc.

Há alguns anos aproveitei um dia de primavera para conhecer de perto a árvore do programa de Regina, na Quinta da Boa Vista, já advertido de que sua estonteante coloração rosa advém das folhas novas, não se confundindo com suas flores. Isso mesmo! Essa profusão de cores rosas, característico da Sapucaia na primavera, é resultado do surgimento da nova folhagem.

No último sábado (31 de outubro) retornei à Quinta, agora para fotografar essa belíssima árvore, Nas fotos a seguir é possível ter clara a ideia do que falei acima. As folhas novas nascem rosa, as flores têm tons branco e arroxeado, enquanto o fruto é grande e de casca dura, onde se encontram as sementes ("castanhas"). O fruto da Sapucaia originou a expressão popular "macaco velho não bota a mão em cumbuca", e por isso ela é também conhecida como Cumbuca-de-macaco (para saber a razão disso assista ao programa de Regina Casé!).


Folhas novas, flores e fruto da Sapucaia
O fruto deu origem à expressão popular
 "macaco velho não bota a mão em cumbuca"

Para finalizar esse post, não poderia frustrar o leitor e deixar de registrar a alameda das Sapucaias com o Museu Nacional de História Natural (ou apenas Museu Nacional da UFRJ) ao fundo, tamanha a sua importância como a mais antiga instituição científica do Brasil e o maior museu de história natural e antropológica da América Latina. O Museu funciona no Paço de São Cristóvão, residência da Família Imperial brasileira até 1889, onde nasceu D. Pedro II e se realizou a 1ª Assembléia Constituinte Republicana.


Alameda das Sapucaias com o Museu Nacional da UFRJ ao fundo

Uma última palavra: o projeto dos jardins da Quinta da Boa Vista foi apresentado ao Imperador D. Pedro II por Auguste François-Marie Glaziou e foi inspirado nos jardins paisagísticos franceses, utilizando-se espécies arbóreas típicas das matas nacionais.

Gostou desse post sobre as Sapucaias? Fique à vontade para deixar aqui seu comentário. Ah! E corra lá na Quinta que ainda dá tempo de tirar ótimas fotos. A natureza agradece!



Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

8 comentários:

  1. Que belo passeio ! Ótimas pesquisa e fotos.
    Repare que o fruto fotografado já se abriu, tendo caído a tampa e liberado as castanhas.
    Muito legal !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Bem observado, Plínio! Fico muito feliz com sua visita e seu comentário, que enriquece de conhecimento a postagem. Um grande abraço!

      Excluir
  2. Plantei uma muda de Sapucaia na chácara do meu pai.

    ResponderExcluir
  3. Fantastico, isso! Ontem 27/07/19 levei minha mãe na Quinta para um passeio e ela me chamou a atençao por estes arvoredos pelas cabacas que ali constituia. vim no Google pesquisar pois ela é encontrei vocês. Muito bom a minha pesquisa voltarei na primavera para ver o florido

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá. Fico feliz pelo relato de sua mãe. Que bom que essa matéria despertou seu interesse em ver a floração. Vale mesmo conferir!

      Excluir
  4. Conheci a Sapucaia perto do mercadão da cidade de Sete Lagoas me apaixonei ,era muito grande tipo 10 pessoas não conseguem abraça-la.Plantei no fazenda que agora é do meu filho e dei o nome de Fazenda Sapucaia e hoje sei aonde encontrar várias delas🌳

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que belo relato, Apparecida! Obrigado por deixar aqui esse registro. E parabéns por ter plantado essa árvore de grande beleza e importância ecológica!

      Excluir