Floração do Abricó-de-macaco


Abricó-de-macaco (Couroupita guianensis)
aleia Custódio Serrão - Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Oi amigos, tudo bem? No último sábado (12 de março), com alguns dias de atraso, fui conferir na aleia Custódio Serrão, no Jardim Botânico, a floração do Abricó-de-macaco (Couroupita guianensis), que ocorre normalmente nos meses de setembro a fevereiro.

Segundo o "Guia de Árvores notáveis - 200 anos do Jardim Botânico do Rio de Janeiro", organizado por Paulo Ormindo e ilustrado por ele e Malena Barretto, trata-se de "uma das mais notáveis árvores tropicais do mundo"

Sua origem é controversa, mas é provável que seja nativa das Guianas, habitando as margens inundáveis de rios. "Couroupita", na denominação indígena, significa justamente "Guianas", onde teria sido encontrada pela primeira vez.

É de fato uma árvore de encher os olhos, além de ser muito peculiar: suas flores, de cor avermelhada, nascem diretamente do tronco.

Flores de Abricó-de-macaco (Couroupita guianensis)
(clique para ampliar)

Curiosamente, apesar de sua extrema beleza, não é indicada para o paisagismo, já que os frutos, que mais parecem uma bola de boliche ou de basquete, são muito pesados.

Os frutos têm uma polpa azulada e apresentam uma grande quantidade de sementes, muito apreciadas pelos animais, inclusive macacos, claro. Por sorte, consegui registrar um dos frutos caído no chão, com parte das sementes à mostra.

Fruto de Abricó-de-macaco (Couroupita guianensis)
(clique para ampliar)

Esse ano, ao contrário do anterior, parece estar sendo bem generoso com as árvores. Espero poder retornar em breve para trazer mais novidades a vocês. Até!



Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

4 comentários:

  1. Lindas as flores deste abricó! Interessante estes frutos! A natureza é muito sábia, provê a todos os seres! Ah, linda foto filho!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, mãe. Você não imagina a sensação de poder percorrer o Jardim Botânico com todas essas árvores floridas. É uma boa oportunidade para contemplar a natureza e esvaziar a mente. Devia ir lá mais vezes, mãe. Obrigado por comentar. Bj.

      Excluir
  2. Oi Cris,
    Tive uma grata surpresa neste final de semana. Ao andar de bicicleta pela ciclovia na Rua Humaitá (entre as duas pistas, em frente à Casa do Mago)deparei-me com um verdadeiro oásis - um corredor de árvores - e, após ler o seu post, tenho para mim, que são abricós !!!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi Lu, que legal! Se puder tire uma foto que coloco aqui no blog. Há poucos exemplares na cidade, mas Botafogo é particularmente privilegiado por essa árvore. Sorte nossa! Obrigado por comentar. Aguardo sua foto, hein!

      Excluir