Leonardo da Vinci e o estudo dos pássaros

 

Leonardo da Vinci, por F. Bartolozzi (1795)

 

2 MINUTOS DE LEITURA
 
Tão útil como conhecer a biografia de um dos maiores gênios que a humanidade já produziu é poder vê-la reconstruída, com perspicácia, a partir dos cadernos deixados pelo próprio biografado que sobreviveram aos últimos quinhentos anos.
 
É esse o caso do excelente livro escrito por Walter Isaacson sobre a vida de Leonardo da Vinci (1452-1519).
 
Da Vinci, que não frequentou a escola e mal sabia ler em latim demonstrou sua genialidade por meio de duas habilidades que podemos almejar desenvolver: a curiosidade aguçada e a observação incansável.

Tinha, além disso, a aptidão para unir observação e imaginação, o que fez dele o inventor mais completo da história.

Dentre seus inúmeros temas de interesse, Leonardo também estudou o voo dos pássaros, reunindo, após vinte anos de observações, suas anotações em dezoito páginas, hoje conhecidas como Códice sobre o voo dos pássaros (1505).

Leonardo tinha uma estratégia bem definida para refinar as habilidades de observação. Ele elaborava uma lista metódica de ordens para si mesmo a fim de determinar quais seriam todos os passos da observação, como, por exemplo, "Definir primeiro os movimentos do vento e depois descrever como o pássaro os usaria para voar apenas ajustando a posição das asas e da cauda. Fazer isso após a descrição de sua anatomia". Em suas listas de coisas inspiradoras a fazer, Leonardo também anotou: "Descreva a língua do pica-pau".

Outras frases colhidas de seus cadernos continuam desafiando os mais atentos observadores de aves da atualidade, como no trecho: "Existem pássaros que movem as asas mais depressa quando as abaixam do que quando as levantam, como no caso das pombas e outras aves do tipo. Há outros que abaixam mais lentamente do que levantam, e isso pode ser observado nos corvos e em outras aves similares".
 
Como conclui Walter Isaacon ao final da biografia, com Leonardo podemos aprender a sermos curiosos, a buscarmos conhecimento pelo simples prazer da busca, a conservarmos a capacidade das crianças de se maravilhar, a observarmos em cada detalhe, a vermos o invisível, a mergulharmos no desconhecido e a respeitarmos os fatos sem abrirmos mão de nossa fantasia.

*Publicado em 27/02/2021



Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

4 comentários:

  1. Muito interessante esta leitura! Saber q ele não frequentou a escola foi uma surpresa. Incrível tudo q fez! Confesso q tentarei saber mais. Seu texto me despertou muita curiosidade. Bjs e parabéns!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Fico feliz que o texto tenha aguçado a sua curiosidade, mãe. Segundo o biógrafo, a única educação formal de Leonardo veio de uma "escola de ábaco", escola primária que enfatizava os conhecimentos matemáticos úteis para o comércio. Ele aprendeu um pouco de latim ao longo da vida por conta própria, era um autodidata.

      Excluir
  2. Gostei da sua explanação. Não tinha conhecimento de muita coisa que comentou.
    Parabéns! 👏👏👏

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Eu também ignorava muita coisa, Isaura. Se tiver a oportunidade de ler essa biografia tenho a certeza de que irá gostar muito.

      Excluir