O primeiro gavião a gente nunca esquece...


Gavião-carijó (Rupornis magnirostris)

Por ser um ave de rapina muito comum em todo o Brasil, bem adaptada a diferentes ambientes, inclusive às grandes metrópoles, o Gavião-carijó (Rupornis magnirostris) é provavelmente um dos primeiros rapinantes que aprendemos a identificar quando iniciamos na atividade de observação das aves.

Não é dos gaviões mais belos, mas como acontece com toda ave de rapina, sua postura é imponente, e o olhar, penetrante. Além disso, costuma ser generoso em se deixar observar e fotografar.

Por se alimentar com um cardápio variado, que inclui grandes insetos, roedores, morcegos e outros pássaros, pode ser visto até mesmo no chão, em busca da presa, e tem um inegável papel no equilíbrio da fauna.

Aproveitando-me dessas características, e numa dessas ocasiões em que estamos no lugar certo e na hora certa, consegui meu melhor registro da espécie até agora, seguindo a dica do fotógrafo de natureza Sergio Costa, a quem agradeço por me alertar para sua presença junto ao bromeliário do Jardim Botânico do Rio, a poucos metros do solo, bem acima de nossas cabeças!

Agora que você já conhece alguns atributos desse majestoso rapinante, basta educar o olhar para observar tudo à sua volta, por onde quer que você passe. Quem sabe não encontre um deles empoleirado em alguma árvore, à espreita da próxima presa? Se isso acontecer terá grande chance de se tornar o(a) mais novo(a) observador(a) de aves de sua vizinhança. Nesse caso, bem-vindo(a) ao clube!


Olimpíadas Rio-2016

No momento em que todas as atenções estarão voltadas para as Olimpíadas Rio-2016, o blog fará uma ligeira pausa, retornando em breve com mais novidades sobre o mundo das aves e das árvores. Até!





Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

10 comentários:

  1. Aguardo a volta! Espero que com muitas novidades!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado por poder contar com sua audiência, Lu. Até.

      Excluir
  2. Boa sacada, Cristiano. Assim como você diz, o meu primeiro gavião quando comecei a observar aves também foi um carijó, lá em Teresópolis. Mas não concordo com você quando diz que ele não é dos mais belos. Sua ótima foto está aí para me dar razão. Um abraço.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Oi, Claudio. O seu testemunho reforça minha teoria sobre a identificação dos rapinantes, quando iniciamos na observação das aves. Quanto à beleza do gavião, fico feliz de haver discordado de mim nesse ponto. Obrigado por deixar seu comentário aqui no blog. Abraço.

      Excluir
  3. Filho, sua foto espetacular pôde revelar toda a beleza e elegância desta ave. Ao contrário de vc, acho este gavião belíssimo. E despertou em mim uma curiosidade. Todo Carijó tem em seu peito esta plumagem rosada? Ou estes tons podem variar? Parabéns por mais esta postagem. Até breve com suas maravilhosas fotos e matérias. Bj grande.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Mãe, na verdade são tons ferrugíneos e a palavra carijó é geralmente designada nas aves para se referir a pequenos pontos ou estrias na plumagem, como é o caso do Gavião-carijó. Que bom que gostou da foto! Aos poucos estou me convencendo da beleza desse gavião. Bj.

      Excluir
  4. Cristiano acho esse gavião imponente, pode não ser uns dos mais belos, mais essa plumagem no peito rosada, acho belíssima. Talvez seja por gostar muito da cor rosa. Beijos.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. De fato, o peito estriado é bem bonito Isaura. Obrigado por comentar. Um bj.

      Excluir
  5. Bela foto. Ele é arisco e quando percebe a máquina em sua direção ele normalmente sai. Sou amador tb e ainda não tenho uma nítida assim. Parabéns !

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Concordo, Jose Eduardo. É bem difícil ele ficar parado tão próximo assim. Dei sorte. Fico feliz que tenha gostado da foto! Muito obrigado. E volte sempre!

      Excluir