Fragatas da Praia de Copacabana


Fragatas (Fregata magnificens)

Uma caminhada à beira-mar pelo famoso calçadão de Copacabana é roteiro "obrigatório" para moradores e turistas que visitam a Cidade Maravilhosa, em qualquer época do ano. O calçadão nos convida à contemplação das ondas do mar e à prática de exercícios físicos.

O que poucas pessoas se dão conta é que o local também permite a observação de um número razoável de aves marítimas, que ocupam o céu azul da orla em boa parte do ano.

Dentre elas, as magníficas Fragatas (o trocadilho é justificado pelo nome científico: Fregata magnificens), que desde os primeiros raios de sol podem ser vistas voando das ilhas costeiras em direção ao litoral. Segundo a pesquisadora de Avifauna Larissa Cunha, do Projeto Ilhas do Rio, a Ilha Redonda - que fica próxima à orla de Copacabana e Ipanema - é o segundo maior ninhal dessas aves no Atlântico Sul, perdendo apenas para a Ilha de Alcatrazes, localizada no litoral norte do estado de São Paulo.

Elas podem alcançar mais de dois metros de envergadura, pesando somente um quilo e meio, por isso passam grande parte do dia planando nas térmicas (espirais de ar quente que sobem do solo em direção à atmosfera), sem sequer pousarem.

Alimentam-se normalmente de peixes que sobem à superfície ou que são capturados de outras aves, já que não podem mergulhar. Por esse motivo são também conhecidas como "piratas-do-mar".

Como se vê na foto ampliada que inicia esse post (basta clicar sobre a imagem), o macho tem a cor preta e apresenta um saco gular ("garganta") vermelho, que aumenta de volume no período reprodutivo. A fêmea, por sua vez, tem o peito branco e é ligeiramente maior que o macho. Já a fragata jovem (que não aparece na foto) possui, além do ventre branco, a cabeça toda alva.

É interessante falar dessas aves, pois até bem pouco tempo, antes de iniciar o hobby da observação de aves, eu as conhecia somente como "gaivotas", como acredito que ocorra com muita gente que ainda não teve contato com a ornitologia. Na verdade, nosso "gaivotão" constitui outra espécie, de nome científico Larus dominicanus.

Pela facilidade de observação a olho nu, por sua beleza acrobática e diante de tão magnífico cenário, as fragatas são, em minha singela opinião, um belo convite a quem ainda não iniciou a prazerosa prática do "birdwatching".

Esse post não acaba aqui: no Instagram do Aves & Árvores vocês podem ver um registro que fiz do comportamento de um Urubu-de-cabeça-preta (Coragyps atratus) dividindo uma térmica com uma fêmea de fragata. Acredito que a imagem tenha ficado bem interessante, especialmente por permitir uma boa comparação do tamanho dessas aves. Espero que gostem...e até a próxima!



Cadastre-se

* preenchimento obrigatório

6 comentários:

  1. Interessante estas fragatas. Confesso que tb confundia estes pássaros com gaivotas. Mas são grandes as diferença quando passamos a observá-las.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. É verdade mãe, é isso que faz da observação de aves uma atividade muito prazerosa. A cada dia uma nova descoberta. Obrigado por comentar aqui. Um grande beijo!

      Excluir
  2. Adorei!Mais um pedacinho de conhecimento sobre algo que observei no céu de Copacabana.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá! Que bom que gostou. Obrigado por sua visita e por seu comentário. Volte sempre ao site. Até.

      Excluir
  3. Moro de frente para a Baía de Sepetiba, que é área de restinga e manguezal, e costumo ver aves negras planando...achava que eram os urubus, embora me parecessem demasiado leves e delgados cá de baixo. Claro, são fragatas! Obrigada pelo valioso esclarecimento, agora já não confundo mais! O meu abraço!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, Dirce! Bom saber que esse artigo de alguma forma lhe ajudou a diferenciar fragatas de urubus. Você reside em uma área com uma avifauna fantástica. Convido à leitura da matéria aqui do site, intitulada 'Visita à Reserva Biológica de Guaratiba' (link: http://www.avesarvores.com.br/2015/01/visita-reserva-biologica-de-guaratiba-rj.html). Um abraço e seja bem-vinda ao site!

      Excluir